O que eu perdi com o Tibia

Desde que comecei a escrever sobre este jogo que me acompanha há mais de 10 anos, entre idas e vindas, foram sobre coisas boas. Sobre novidades, histórias que passei, coisas que aprendi, pessoas que conheci, amizades que fiz. Mas assim como na vida, nem tudo são flores nessa realidade virtual.

São vários momentos e várias situações ruins que já me aconteceram durante essa jornada. E hoje vou falar um pouco sobre isso. Sobre algumas coisas que eu perdi, direta ou indiretamente, devido ao nosso Tibia.

Seguindo uma ordem cronológica, vamos começar por 2005. Eu já conhecia o Tibia antes disso, mas como não tinha computador, eu só via meus amigos jogarem. E foi nesse ano que eu criei minha primeira conta, lá em Calmera. Mesmo sendo free e não entendendo nada do RPG, eu ficava horas na frente do PC durante o final de semana (já que a internet discada era possível só nesses dias). Aqui eu comecei a perder algumas coisas. Deixava de jogar futebol para ficar jogando Tibia. De uma certa maneira, eu ainda ficava ao lado dos meus amigos, mas para isso deixei de lado uma das minhas maiores paixões que é o futebol.

Dois anos depois foi o pior ano. Foi em 2008 que eu me prejudiquei da pior maneira possível devido ao vício em jogar. Nesse ano eu estava no último ano do colegial. Ano de prestar vestibular. Eu sempre fui “CDF”, tirava as melhores notas, era um dos melhores alunos da escola. Era. Cada vez eu deixava mais de lado os estudos para ficar jogando. Eu achava que não tinha nenhuma relação entre as coisas, mas tinha. E só vi quando já era tarde. A culpa era minha, claro. Culpar o jogo por uma irresponsabilidade minha seria outra irresponsabilidade. Mas o Tibia não deixa de fazer parte dessa triste história.

Após isso eu dei uma parada com o jogo. Dois anos depois passei na faculdade, cursei direito, me formei em 2014. Passei em um concurso púbico, trabalho nele desde junho 2014. Durante esse tempo recebia alguns e-mails da Cipsoft, falando que minha conta seria deletada por desuso. Eu não me importei, pra mim o Tibia tinha morrido. Tinha, até 2016. Ressuscitou.

Na minha volta eu já tinha condições de pagar premmy. Foi quando eu comecei a participar do jogo de verdade. Aquele sonho de caçar tortoise se realizou. Passava horas e horas upando. Chegava do trabalho, arrumava a casa e sentava no computador para jogar. E isso começou a acontecer aos finais de semana. Eu como não tinha mais que me preocupar com estudos, era só sentar e aproveitar. E com isso eu comecei a perder outra coisa: aquele tempo com os amigos.

Vez ou outra eu ficava sábado a tarde jogando e deixava de sair, participar dos churrascos, me divertir fora do quarto. Eu achava normal, afinal, era um dia só da semana. Mas isso começou a se repetir, semana após semana. Quando me dei conta eu já não me lembrava mais da última vez que tinha saído de casa.

Por isso não devemos misturar as coisas. Não podemos deixar que o jogo seja a coisa mais importante do nosso lazer. Dessa vez eu reparei a tempo. Hoje já não deixo de sair, de divertir pra fazer alguma quest ou ficar simplesmente passeando pelo mapa ou upando. Existem coisas mais importantes. E se você está deixando que o jogo se torne algo primordial na sua vida, é hora de olhar para fora da janela e ver como a vida é muito mais maravilhosa que isso.

acesso

ÚLTIMAS NOTICIAS

PUBLICIDADE

BDTCast

último episódio lançado

proxy recomendada

segue a gente

COMPARTILHE

ÚLTIMAS NOTICIAS

COMENTÁRIOS

Deixe uma resposta